IMPA e Stone somam matemática e indústria para melhorar concessão de crédito

Um bom negócio para o setor financeiro, academia e para quem precisa de crédito. Uma parceria do IMPA com a Stone deu origem a um seminário de Machine Learning focado em resolver um problema concreto apresentado pela empresa e fundamental para o país: a concessão de crédito para pessoas jurídicas.


Por quatro meses, pesquisadores e alunos do IMPA com competências complementares formaram um time que, com apoio da fintech, se debruçou sobre desafios no setor financeiro para alcançar resultados de impacto. Esse esforço resultou em um algoritmo de machine learning capaz de ajudar as decisões de crédito da Stone e que, segundo a empresa, terá implicações práticas na sua missão de destravar esse mercado.


A turma com um aluno de doutorado e três de mestrado liderados pelos professores Paulo Orenstein e Vitor Guerra, com participação dos pesquisadores Roberto Imbuzeiro e Luciano Irineu, trabalhou a partir de soluções desenvolvidas pela Stone. De março a junho, atacaram os desafios, e ao final do curso, a equipe foi capaz de superar todas as metas propostas e, com novas perspectivas e insights, ajudou a resolver um problema de fronteira do conhecimento, colaborando com uma empresa brasileira de peso no mercado.


O seminário tinha o objetivo de ensinar ferramentas de machine learning para resolver a questão apresentada pela Stone. Além de aplicar algoritmos existentes, o grupo desenvolveu tópicos de pesquisa em cima de problemas reais, cumprindo a missão acadêmica do IMPA. O trabalho resultará ainda na publicação de um artigo acadêmico. “É um caminho colaborativo, de um tipo diferente, feito diretamente com a indústria e sobre casos concretos. Foi uma experiência muito positiva”, avaliou o diretor-geral do IMPA Marcelo Viana. “Muitas questões vindas do setor produtivo acabam se tornando problemas
profundos em Matemática Aplicada. Isso enriquece os dois lados”, disse Orenstein.

Como é comum em universidades norte-americanas, o curso foi pautado pelo “modelo de aprendizagem por projeto”, destacou Orenstein, em que alunos e professores se dedicam ao longo do semestre à resolução de um caso ou problema. “O seminário é pautado em códigos e pesquisa. Nossos avanços foram sempre sendo testados através do código que desenvolvemos, e agora pretendemos elaborar nossas ideias, tanto do ponto de vista teórico quanto prático, num artigo acadêmico a ser publicado”, completou Imbuzeiro.

O IMPA vai oferecer no primeiro semestre de 2021 um novo curso nesses moldes, para ensinar aos alunos ferramentas de machine learning pautadas em um projeto de alto impacto. Os seminários de 1h30 acontecerão duas vezes por semana, e serão liderados pelos professores Paulo Orenstein e Roberto Imbuzeiro

Equipe multidisciplinar impulsionou resultados

“A composição multidisciplinar da equipe foi um destaque do seminário. Além de prover discussões frutíferas, com perspectivas distintas e complementares, contribuiu para desenvolver soluções criativas e abrangentes. O ambiente sempre foi instigante”, disse o aluno do mestrado profissional João Vitor Romano, com experiência no mercado financeiro.


Para o doutorando Thiago Ramos, os desafios semanais os obrigaram a aprender novas habilidades que variavam de como estruturar um código até novos teoremas matemáticos. “Vencer esses desafios como um grupo é uma sensação muito gratificante que recomendamos para todo aluno do IMPA, seja mais teórico ou aplicado.”


Workshop Matemática e Indústria inaugurou parceria

Em fevereiro, a Stone foi uma das participantes do “Workshop Matemática e Indústria”, organizado pelo IMPA para aproximar a academia do setor produtivo, ao lado da Petrobras, Hurb (Hotel Urbano) e McKinsey & Company. Em parceria com o Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) da USP, o evento reuniu em dois dias mais de 300 estudantes, pesquisadores e gestores de empresas conheceram instrumentos para a resolução de problemas reais, explorando o potencial matemático.